(11) 3082 9786 – Praça N. Sra. do Brasil, s/nº, Jardim América – São Paulo, SP

Matéria de capa › 17/09/2018

Para vocês, quem sou eu?

A pergunta de Jesus a seus apóstolos, no Evangelho deste Domingo, também é feita para todos nós, discípulos de Jesus em nosso tempo: “quem vocês dizem que eu sou?” (Mc 8.29). Pedro respondeu em nome de todos e acertou: “tu és o Cristo!” E Jesus confirmou a resposta de Pedro: Jesus é o ungido de Deus, o Cristo, o Filho do Deus vivo.

Ao mesmo tempo, Jesus vai avisando que o Messias enfrentará perseguições, sofrimentos e a própria condenação injusta à morte. Só depois disso é que sua glória vai aparecer. E quem quiser estar com Ele, deve estar disposto a renunciar a si mesmo e passar pelo mesmo caminho, enfrentando sofrimentos e desprezo por causa d’Ele. A firmeza na fé e a coerência da vida segundo o Evangelho devem ser características dos discípulos de Jesus.

Em nosso sínodo arquidiocesano temos um lema bonito: “Deus habita esta Cidade. Somos suas testemunhas”. Somos as testemunhas de Deus e de Jesus Cristo, seu Ungido, em São Paulo. Este testemunho deve aparecer e não ficar escondido, nem ser renegado no estilo de vida que levamos, ou nas maneiras de organizar a sociedade.

Uma das atividades do nosso sínodo arquidiocesano é o levantamento da realidade religiosa e pastoral em todas as paróquias e comunidades da Arquidiocese. É um convite a nos “olharmos no espelho”, para ver, com sereno realismo, como estamos. A partir dos resultados desse levantamento, faremos uma reflexão sobre a qualidade da vida cristã e da prática religiosa em nossas comunidades. Queremos conhecer e compreender melhor quais são as maiores carências e urgências a enfrentar na evangelização em nossa Arquidiocese.

No fundo, cada um de nós está sendo colocado de novo diante dessas questões: quem é Deus para mim? Como me relaciono com Ele? Quem é Jesus Cristo para mim? O que representa a Igreja de Cristo para mim? Como me relaciono com ela? A pergunta de Jesus aos apóstolos não foi meramente retórica, mas Ele queria saber, se os discípulos tinham mesmo compreendido quem Ele era e qual era a sua missão.

Para os católicos, não basta ter umas ideias genéricas sobre Deus, a Igreja, a vida cristã e a prática religiosa. A nova evangelização é um esforço da Igreja para ajudar os seus filhos a crescerem na fé e a aprofundarem seu testemunho cristão no mundo. E também é isso que buscamos através do sínodo arquidiocesano, que é um “caminho de comunhão, conversão e renovação missionária” de nossa Igreja em São Paulo.

 

Cardeal Odilo Pedro Scherer
Arcebispo de São Paulo
Artigo publicado no
Folheto “Povo de Deus em São Paulo”, ed. 16/9/2018