(11) 3082 9786 – Praça N. Sra. do Brasil, s/nº, Jardim América – São Paulo, SP

Artigos › 14/11/2016

Cristo Rei, dia dos leigos e leigas

Na festa de Cisto Rei (20.11.2016), último domingo do ano Litúrgico, comemoramos o dia dos cristãos leigos e leigas. Saudamos a todos os cristãos leigos e leigas que procuram ser sal na terra, luz no mundo e fermento na massa. Nesse ano, quando foi apresentado um documento sobre os cristãos leigos e leigas na Igreja e na sociedade, temos certeza que o mundo será melhor e mais brilhante quando os cristãos viverem os sentimentos de Nosso Senhor Jesus Cristo. A sociedade será fermentada pela esperança, amor e justiça. A Igreja tomada por uma espiritualidade libertadora e encarnada, é a sementeira do Amor de Deus, sinais do seu Reino. É a festa de Cristo Rei, onde os cristãos procuram testemunhar o seu jeito bonito de seguir Jesus Cristo Rei e Senhor.

O Papa Francisco, na missa matutina do dia 10.11.2016, na casa Santa Marta, disse: “O Reino de Deus não é uma religião do espetáculo, que sempre procura coisas novas, revelações, mensagens… Deus falou em Jesus Cristo: esta é a última Palavra de Deus. As outras são como fogos de artifício que te iluminam por um instante e depois, o que fica? Nada. Não há crescimento, não há luz, não há nada: um instante. Muitas vezes, somos tentados por esta religião do espetáculo, tentados em procurar coisas estranhas à revelação, à mansidão e o Reino de Deus que está no meio de nós, cresce. E isto não é espetáculo: é a vontade de possuir algo em mãos. A nossa salvação se dá na esperança, a esperança que tem o homem que semeia o grão ou a mulher que prepara o pão, misturando fermento e farinha: a esperança que ela cresça. Ao contrário, esta luminosidade artificial se concentra em um momento e depois acaba, como os fogos de artifício. Não são suficientes para iluminar uma casa; é um espetáculo” … Precisamos cuidar com paciência. A paciência no nosso trabalho, nos nossos sofrimentos… Cuidar como cuida o homem que plantou a semente, protege a planta e se preocupa para que não tenha uma erva daninha perto dela, para que a planta cresça. Cuidar da esperança. E aqui está a pergunta que eu faço a vocês hoje: se o Reino de Deus está no meio de nós, se todos nós temos esta semente dentro, temos o Espírito Santo ali, como eu cuido dele? Como discirno, como posso discernir a planta boa do grão da intriga? O Reino de Deus cresce e nós o que devemos fazer? Cuidar. Crescer na esperança, cuidar da esperança. Porque na esperança fomos salvos. E este é o elo: a esperança é o elo da história da salvação. A esperança de encontrar o Senhor definitivamente … O Reino de Deus está no meio de nós, mas nós devemos com o repouso, com o trabalho, com o discernimento proteger a esperança deste Reino de Deus que cresce, até o momento em que virá o Senhor e tudo será transformado… E como diz Paulo aos cristãos de Tessalônica, naquele momento permanecemos todos com Ele”.

Que a luz da esperança incentive a todos os cristãos leigos e leigas a viverem os sinais vitais da construção em harmonia, superando a vingança, o ódio, a corrução e a malvadeza na família, no descanso, no estudo e no trabalho.

Que saibamos valorizar a juventude que se levanta na construção da justiça e que as forças da nação estejam voltadas para que toda pessoa que aqui vive, possa se sentir amparada, amada, coberta pela dignidade que todo filho e filha de Deus merecem. Esse é o grande sinal do Reino de Deus que Jesus Cristo, Rei e Senhor veio instaurar aqui.

Que Nossa Senhora da Imaculada Conceição de Aparecida proteja, com seu manto sagrado, a todos nós que acreditamos num Brasil sem corrupção e disparidade escandaloso de salários entre pobres e ricos.

Dom Severino Clasen – Bispo de Caçador