(11) 3082 9786 – Praça N. Sra. do Brasil, s/nº, Jardim América – São Paulo, SP

Destaques, Notícias › 06/02/2018

Celebração abrirá sínodo arquidiocesano em 24 de fevereiro

No dia 24 de fevereiro, às 14h30, no Colégio São Luís, zona Sul, acontecerá a abertura da celebração do sínodo arquidiocesano de São Paulo. Em carta enviada ao clero e aos coordenadores de grupos sinodais, no dia 9 de janeiro, o Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano, explicou que o encontro será dedicado à primeira etapa do sínodo no âmbito das paróquias, “que são as organizações da base da Igreja”.

O evento não será uma missa, mas um encontro celebrativo dividido em dois momentos. No primeiro, serão dadas orientações gerais sobre o sínodo e sobre os materiais preparados para o sínodo nas paróquias. “Por isso mesmo, a participação de todos os acima indicados é muito importante, para que possamos iniciar bem os trabalhos do sínodo. Convido muito especialmente todos os padres das paróquias”, afirmou Dom Odilo.

Num segundo momento, haverá a solene invocação do Espírito Santo, a acolhida da Palavra de Deus e a consagração dos trabalhos do sínodo a Nossa Senhora, ao apóstolo São Paulo e aos Santos Padroeiros das comunidades paroquiais da Arquidiocese. “No final, será feito um grande envio para a celebração do sínodo, a começar pelas paróquias ao longo de 2018”, acrescentou o Cardeal.

 

COMISSÕES PAROQUIAIS

O Arcebispo reforçou, ainda, que, conforme o Regulamento do sínodo, as paróquias precisam, sem demora, organizar a sua Comissão Paroquial do sínodo que, sob a coordenação do Pároco ou Administrador Paroquial, deve preparar o que lhe compete para o bom encaminhamento dos trabalhos sinodais na paróquia ao longo do ano. “A Comissão deverá ser composta por pessoas capazes e dispostas a animar o sínodo na paróquia”, reiterou.

Na etapa paroquial do sínodo, o povo deverá ser estimulado a fazer uma reunião mensal de grupo, seguindo o roteiro preparado pela Comissão de Coordenação Geral do sínodo. Essa etapa ocorrerá entre fevereiro e outubro. “No final de cada roteiro de reunião, haverá algumas questões ou perguntas, que o grupo deverá discutir, levando sua contribuição por escrito, após cada reunião, para a Comissão Paroquial do sínodo. Assim, a paróquia vai recolhendo as contribuições dos grupos, ao longo do ano, para preparar a assembleia paroquial do sínodo, a ser realizada entre o final de outubro e o início de novembro”, orientou Dom Odilo.

 

LEVANTAMENTO DA REALIDADE

Nos meses de julho e agosto, deverá ser feito um levantamento sobre a realidade paroquial, a partir de um roteiro que está sendo preparado pela Comissão de Coordenação Geral do sínodo. “Para esse levantamento, as paróquias deverão ter muitos voluntários para saírem a campo; eles serão oportunamente treinados e capacitados pela Secretaria Geral do sínodo, em maio/junho, para fazerem esse levantamento com bom fruto”, continou o Cardeal.

Em outubro, até o início de novembro, deverão acontecer as assembleias do sínodo nas paróquias. Para essas assembleias, ainda vai ser preparado e aprovado um regulamento específico pela Comissão de Coordenação Geral. “A assembleia paroquial do sínodo deverá ser bem preparada ao longo do ano pela Comissão Paroquial e poderá ter diversas sessões. Tenho a certeza de que não vai faltar assunto! O resultado das assembleias deverá ser entregue até o final de novembro à Secretaria do sínodo em cada Região e Vicariato Episcopal”.

Começaram a ser distribuídos nas paróquias o cartaz do sínodo e o roteiro das reuniões dos grupos paroquiais do sínodo. Uma vela personalizada acompanhará cada grupo em suas reuniões. “Os textos para as reuniões deverão ser distribuídos apenas para os participantes de cada grupo organizado do sínodo na paróquia, após a celebração arquidiocesana de abertura do sínodo”.

 

Fonte: osaopaulo.org.br