(11) 3082 9786 – Praça N. Sra. do Brasil, s/nº, Jardim América – São Paulo, SP

Artigos, Matéria de capa › 04/06/2018

Caminhemos em comunhão

Há um ano, na solenidade de Corpus Christi de 2017, anunciamos e convocamos o 1º sínodo arquidiocesano de São Paulo – “caminho de comunhão, conversão e renovação missionária” para nossa Arquidiocese. Desde então, já foram dados muitos passos no caminho empreendido, como a constituição da Comissão de Coordenação Geral do sínodo, a definição das etapas sinodais, a elaboração do Regulamento do sínodo, a preparação do material para a realização da primeira etapa do sínodo, a abertura solene no dia 24 de fevereiro passado.

E estamos realizando, passo a passo, a primeira etapa do sínodo nas paróquias e comunidades, que são as expressões concretas da Igreja na sua base. Onde o povo dos batizados se reúne ao redor da Palavra de Deus, da celebração da Eucaristia e dos demais Mistérios da fé, onde esse povo se organiza para o testemunho pessoal e comunitário da fé, esperança e caridade, onde ele se envolve na evangelização e na ação missionária, aí a Igreja está presente e atuante. As paróquias, comunidades de comunidades, são um ícone da Igreja na sua universalidade.

Este é o motivo do início do caminho sinodal por uma renovada tomada de consciência da Igreja, de sua vida e de sua missão. Como a vida e a missão eclesial estão acontecendo na prática de nossas comunidades? De pouco serviriam organizações e estruturas pastorais formalmente perfeitas, se não tivessem na sua base comunidades vivas formadas de pessoas que fazem parte da Igreja. Esta primeira etapa do sínodo, portanto, serve para “olhar-nos no espelho” e para ver como está a vida de nossas comunidades eclesiais. Somos a Igreja desejada por Jesus Cristo, fundador e sustento da Igreja? Em qual medida os elementos essenciais da vida e da missão da Igreja estão acontecendo em nossas comunidades?

Enquanto isso, os mais diversos grupos nas paróquias já estão se reunindo mês a mês para refletir sobre os temas propostos e para avaliar a situação das respectivas comunidades da Arquidiocese. É desejável que sejam muitos grupos em cada paróquia, organizados a partir das pastorais, associações laicais, movimentos, comunidades religiosas e de grupos formados especialmente para participar do sínodo. Este é o momento de nos colocarmos à escuta daquilo que “o Espírito diz à Igreja de São Paulo” (cf. Ap 2). As contribuições de todos são importantes para uma boa tomada de consciência sobre a realidade da nossa Igreja na sua base. O papel dos párocos e de seus colaboradores é fundamental nesta etapa.

Um levantamento da realidade sociorreligiosa e pastoral está em preparação, para ser realizado em julho e agosto em cada uma das paróquias da Arquidiocese. Esse levantamento, elaborado com critérios técnicos rigorosos, oferecerá elementos preciosos para uma avaliação objetiva da situação religiosa em que se encontra nossa Arquidiocese, em cada uma de suas comunidades paroquiais. Um segundo levantamento, mais estritamente voltado aos serviços pastorais e religiosos oferecidos pelas paróquias, completará o primeiro. Com esse conjunto de dados, e a partir das reflexões surgidas nos grupos, as paróquias farão as suas assembleias nos meses de novembro e dezembro próximos.

O objetivo desta primeira etapa do sínodo é a promoção de um grande “ver” sobre a realidade de nossa Igreja em São Paulo, chamada a ser “testemunha de Deus nesta Cidade”. Até que ponto estamos correspondendo a essa nossa missão? Quais são as interpelações que nos vêm da realidade sócio religiosa e dos apelos da Palavra de Deus e da Igreja? Quais são as maiores urgências postas à missão da nossa Igreja em São Paulo? E como vamos responder a essas urgências e desafios? Em comunhão, unidos pelo Evangelho e pelo Espírito de Cristo, buscaremos as respostas.

A solenidade de Corpus Christi nos lembra que, em Cristo, formamos um só corpo. Comunhão eucarística e comunhão na Igreja caminham juntas. Agradeçamos a Deus os passos já dados até o presente; mas também pedir renovadas graças e luzes ao Espírito Santo para percorrermos, em comunhão, o longo caminho que ainda temos pela frente. O sínodo representa um esforço conjunto de nossa Igreja em São Paulo, onde cada membro verdadeiramente interessado no bem da vida e da missão da Igreja é chamado a participar com fé. A Eucaristia nos lembra que Jesus Cristo é o Senhor da Igreja, e nós somos os discípulos missionários que Ele chamou, congregou em torno de si, alimenta e forma continuamente para o desempenho da missão que nos confia: “vós sereis minhas testemunhas” (cf. At 1,8).

Cardeal Odilo Pedro Sherer
Arcebispo Metropolitano de São Paulo
Publicado em O SÃO PAULO, na edição de 30/05/2018