(11) 3082 9786 – Praça N. Sra. do Brasil, s/nº, Jardim América – São Paulo, SP

Artigos, Destaques › 06/12/2017

Advento – tempo de evangelização

Iniciamos o Advento deste ano já no mês de dezembro, o que acontece raramente. Também será fato raro que o dia 24 de dezembro seja, ao mesmo tempo, o quarto Domingo do Advento e a Vigília do Natal.

O Advento possui algumas características especiais. Antes de tudo, é um tempo de esperança, durante o qual recordamos as promessas de Deus a respeito de nossa salvação. Deus é fiel e o que Ele promete é cumprido. E suas promessas referem-se a algo muito grande, que satisfaz plenamente o nosso coração e as buscas de nossa vida. As promessas de Deus a respeito da primeira vinda do Salvador já se cumpriram em Jesus Cristo e, agora, o Advento nos coloca diante da perspectiva da salvação plena, a ser realizada no Reino de Deus.

Como cristãos, somos chamados a dar esperança também ao mundo, que carece muito de um horizonte de esperança verdadeira. A cultura materialista e imediatista aposta em esperanças pequenas e efêmeras, um sonho de consumos depois de outro, que nunca deixa o coração satisfeito. Mas, a esperança cristã não é um sonho de consumo imediatista, que pode levar de frustração em frustração. O Papa Bento XVI escreveu, na encíclica Caritas in Veritate , que um dos aspectos mais preocupantes da cultura do nosso tempo é a falta de esperança; e que, em muitos casos, o homem também não espera mais nada de Deus, depositando sua confiança e esperança apenas nas próprias capacidades e realizações. Isso só pode levar à frustração e a uma vida sem perspectivas!

O Advento anuncia a grande esperança daquilo que só Deus pode realizar pelo homem. A salvação plena que o coração humano busca é obra de Deus. E requer do homem um coração aberto e generoso, para acolher o dom de Deus e colaborar com Ele. Por isso, o Advento também é um tempo forte de escuta e acolhida da Palavra de Deus.

Essa Palavra chama à conversão, à busca de Deus e à colaboração com a sua graça. A busca de Deus deve acontecer através da oração e da reconciliação com Deus. A confissão faz parte da vivência do Advento e da preparação para a celebração do Natal.  Durante a preparação do Natal, por outro lado, é muito recomendado que sejam feitas as Novenas de Natal em família e com os vizinhos, para criar um clima orante e de comunhão fraterna para a celebração do Natal.

Também é bonito e cheio de significado que as famílias preparem o presépio em seus lares durante o Advento. O presépio é uma representação plástica da cena de Natal e visibiliza, de alguma forma, o Evangelho do nascimento de Jesus. A preparação do presépio pode ser um recurso pedagógico bem interessante para as famílias transmitirem a fé às novas gerações; por isso, convém que os pais envolvam os filhos e netos na preparação do presépio, explicando o simbolismo das imagens e lendo com eles o Evangelho do nascimento de Jesus.

E não pode faltar uma intensa caridade e solidariedade para com os pobres, doentes e todos aqueles que sofrem. Que eles sintam que são lembrados por Deus através da nossa fraternidade. Assim, criamos um clima para o Natal, que é a festa da Fraternidade universal. O Filho de Deus veio ao mundo para reunir em torno de si a humanidade e fazer dela uma grande família de irmãos.

 

Cardeal Odilo Pedro Scherer
Arcebispo Metropolitano de São Paulo
Publicado em O SÃO PAULO, na edição de 06/12/2017