(11) 3082 9786 – Praça N. Sra. do Brasil, s/nº, Jardim América – São Paulo, SP

A prática essencial da devoção a Maria

A prática essencial da devoção a Maria

Por São Luís de Montfort
10/06/2015

A entrega total a Maria é uma perfeita consagração a Jesus por Ela. Não basta que nos consagremos a Maria uma única vez, como escravos; não basta que façamos esta consagração a cada mês e em todas as semanas,. Esta seria uma devoção passageira e não ergueria nenhuma alma à perfeição para a qual ela estaria capacitada. Não há muita dificuldade em se agregar a uma confraria, em abraçar esta devoção, fazendo algumas orações todos os dias, como prescreve esta devoção; mas a grande dificuldade está em entrar em seu espírito profundo, tornando a nossa alma interiormente dependente e escrava da Santa Virgem e de Jesus, por meio dela. Encontrei muitas pessoas que, com ardor e zelo admiráveis, se colocaram sob a sua submissão, como escravos, externamente; porém, raramente encontrei, pessoas que tivessem absorvido o seu espírito e, menos ainda,pessoas que tivessem perseverado nessa intenção.

A prática essencial desta devoção à Santíssima Virgem consiste em que todas as nossas ações sejam efetuadas com Maria, isto é, tomar a Virgem Santíssima como modelo perfeito de tudo o que devemos fazer.

É por isso que antes de iniciarmos alguma coisa, devemos renunciar a nós mesmos e às nossas melhores perspectivas; é preciso que nos aniquilemos, diante de Deus, como se fossemos incapazes de qualquer bem sobrenatural e de qualquer ação útil à Salvação; é-nos preciso recorrer à Santíssima Virgem, e nos juntarmos a Ela e às suas intenções, apesar de desconhecidas para nós; é necessário que nos unamos às intenções de Jesus cristo, por Maria, ou seja, devemos nos colocar na mãos da Santíssima Virgem, como um instrumento, a fim de deixá-la agir em nós e para nós, como bem lhe aprouver, para a maior glória de Seu Filho, e por Seu Filho, Jesus, à glória do Pai, de forma a que não tomemos vida interior e operação espiritual que não dependa dela.

Por São Luís Maria Grignon de Montfort
O Segredo de Maria, § 6-12